Sábado, 18.10.08

 

Este é o último capítulo desta fanfic. Agradeço imenso os vossos comentários, ajudaram muito no processo de escrita da história! Espero que tenham gostado e peço desculpa pela demora a postar os capítulos mas tenho pouco tempo para vir ao pc. Muito obrigada e vemo-nos na próxima fanfic que já está a ser escrita.

 

 

Beauty From Darkness 

 

 

Capítulo VIII

  

  

- Está na hora de ajustarmos contas! – começou Christian, retirando a espada de sua cintura.

                Bill, apesar de poder matar Christian imediatamente, também retirou sua espada.

- Se assim deseja.

                Christian lançou-se sob Bill, que defendeu com um golpe seco. O atraente jovem mortal continuou a atacar com golpes certeiros, sempre defendidos pelo vampiro. A raiva começava a tomar posse do corpo de Christian, por não conseguir cumprir seu desejo de matar Bill.

- Era isto que querias, não era? – perguntou, de olhos raivosos, Christian. – Tirares-me o que é meu!

- Ela nunca foi tua! – disse Bill, defendendo-se do golpe de espada do rival.

- Ela pertence-me a mim! – cuspiu, furioso, Christian.

- Apenas ela tem o direito de dizer a quem pertence! – contra-atacou Bill, com as palavras e com a espada.

- Parem com isso! – implorou Helena.

                A bela vampira correu em direcção a Christian, que a repeliu com uma braçada, fazendo-a bater de costas no chão, sendo projectada para atrás uns metros.

- Não lhe voltas a tocar, mero mortal! – gritou Bill, atacando pela primeira vez naquele duelo.

                Christian defendeu-se do golpe mortal de Bill com destreza. Como nobre que era tinha sido educado nas artes da esgrima.

- Tu mataste-a! – gritou Christian, dando um golpe com a espada contra a do vampiro.

- Eu não a matei! – respondeu Bill, desviando-se da espada mortífera do adversário – Eu dei-lhe a vida eterna! A oportunidade de ficarmos juntos para toda a eternidade!

- Tanto egoísmo repugna-me! – atacou Christian – Passaste-lhe a tua maldição! Fizeste dela um monstro sedento de sangue. E porquê? Apenas por causa do TEU desejo por ela!

                Bill baixou sua espada e uma expressão de tristeza invadiu seu rosto. Remorsos. Apenas percebera o quanto egoísta da sua parte fora fazer um crime daqueles a Helena. Sua maldição infernal fora passada á moça. Apenas por seu desejo.

- Mas eu vou-te fazer pagar por o que lhe fizeste! – prometeu Christian, atirando sua espada para o lado – Vais pagar por teres transformado a moça que eu amo num monstro!

                O tom de voz de Christian era decidido e raivoso. A mão do atraente jovem entrou dentro de seu colete de veludo azul-escuro e retirou uma estaca de madeira.

- Não, Christian! – implorou Helena, tentando levantar-se do chão. – Pára!

- Cala-te seu monstro! – ordenou Christian, empunhando a estaca – E finalmente, agora, a minha vingança ficará completa com a tua morte!

                Christian correu, com a estaca empunhada no ar, para Bill. Mas apesar da ameaça de morte, o vampiro não se moveu. Ficou imóvel, aguardando sua merecida morte. Helena levantou-se do chão e correu para Christian, cujos olhos verdes estavam raiados de ódio e sedentos por vingança.

- NÃO!

                A estaca de madeira cravou-se no peito de Bill á medida que as presas de Helena se cravavam no pescoço de Christian! Ouviu-se um misto de gritos de dor. Bill caiu para trás, já sem vida. Helena saltou para cima do corpo de Christian e sugou seu sangue até á última gota.

- Finalmente me vi livre de ti! – cuspiu Helena, á medida que seus olhos e dentes regressavam ao estado original.

                Os olhos de Helena pousaram sob o corpo falecido de Bill, com a estaca de madeira cravada no peito branco. Lágrimas surgiram a seus olhos. Olharam-no com tristeza e dor. Suas trémulas mãos, cuidadosamente, removeram a estaca do peito dele. Ficou a olhá-lo. Como se não acreditasse no que acabara de suceder. Da sua garganta, um belo e triste canto libertou-se:

- “Tu foste o meu único companheiro. Eras tudo o que importava. Tu já foste. Um amigo e um pai. Até o meu mundo se despedaçar.”

                Os joelhos de Helena encaminharam-se para junto do corpo do amado falecido. Suas mãos brancas envolveram as frias de Bill.

- “Eu desejo que estivesses de algum modo aqui novamente! Desejo que estivesses de algum modo perto. Às vezes parece que se eu apenas a sonhar, tu estarias aqui.”

                Os olhos lacrimosos percorreram o corpo falecido, não acreditando. Suas mãos apertavam, forte, as de Bill.

- “Eu desejo poder ouvir a tua voz novamente. Sabendo que eu nunca o faria. Sonhando contigo não me ajudará a fazer. Tudo aquilo que eu sonhei que poderia.”

Olhou em redor, observando as estátuas do jardim. Percebendo a solidão daquele homem, do homem que a amou.

- “Passando por Sinos e anjos esculpidos. Frios e monumentais. Parecem-me para ti companhias erradas. Eras caloroso e gentil!”

Um suspiro de força, para continuar, libertou-se da garganta da bela moça. Desceu seu tronco e pousou sua cabeça sob o peito sem vida do vampiro.

- “Tantos anos. Lutando contra lágrimas passadas. Por que o passado não pode apenas morrer?”

As lágrimas que botavam os olhos de Helena, escorriam e humedeciam o veludo preto do colete de Bill.

- “Eu desejo que estivesses de algum modo aqui novamente! Sabendo que devo dizer adeus! Tenta perdoar! Ensina-me a viver! Dá-me força para tentar!”

Seus olhos abriram-se rapidamente e levantou seu tronco, encarando seu amado falecido. Desviando o olhar, doloroso. Suas mãos brancas limparam as lágrimas que lhe humedeciam a bela face de porcelana. Uma claridade invadiu o jardim. E Helena sentiu a luz do sol a penetrar-lhe as costas, queimando-lhe a carne. Juntando forças, para terminar seu canto.

- “Chega de lembranças. Chega de lágrimas silenciosas. Chega de amargurar os anos perdidos! Ajuda-me a dizer. Adeus …”

Com uma última nota saída de sua garganta, seu corpo começou a ser queimado pelas radiações do fraco sol matinal. Sua bela carne branca começou a ficar estalada. Um cheiro intenso a queimado invadiu o ar. E como se nada se estivesse a passar, de um momento para o outro, Helena explodiu em cinzas, que se espalharam sob o corpo falecido de Bill, que também começara a ser queimado pelo sol, mas mais lentamente. Assim termina, finalmente juntos, ambos os vampiros repousavam em cinzas.

 

THE END

 

 

-------------------------------------------------------------------------------

 

 

Wishing you were somehow here again ~ The Phantom of the Opera

É a música que a Helena canta

(aconselho a audição e já perceberam que eu sou fanática pelo "Fantasma da Ópera"!)

 

 

---------------------------------------------------------------------------------

 

 

Aviso: Esta FanFic tem direitos de autor. Fui eu que a escrevi e imaginei. Não copies, por favor!

Copyright © 2008/ Molly's FanFiction

 

-----------------------------------------------------------------------------------------------------

 



publicado por Molly's FanFictions às 12:41 | link do post | comentar | ver comentários (2)

mais sobre mim
Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18

26
27

28
29
30
31


posts recentes

Beauty from Darkness ~ Ca...

Beauty from Darkness ~ Ca...

Beauty from Darkness ~ Ca...

Beauty from Darkness ~ Ca...

Beauty from Darkness ~ Ca...

Beauty from Darkness ~ Ca...

Beauty from Darkness ~ Ca...

Beauty from Darkness ~ Ca...

Arquivos

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Fanfics

a black rose and two broken hearts

beauty from darkness

teenage drama love

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds